ARLS
7 DE JUNHO Nº 29

 

Jurisdicionado ao Supremo Grande Capítulo de

Maçons do Real Arco do Brasil

Rito de York

 

Mossoró(RN),

PÁGINA INICIAL

REAL ARCO
HISTÓRICO

PATRONO

FUNDADORES

QUADRO

OFICIAIS

CALENDÁRIO

BLOG

LINKS

FOTOS

CONTATO

ÁREA RESTRITA
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
     
 

 
     
  REAL ARCO, CAPÍTULO OU MAÇONARIA VERMELHA  
     
 

Em sua caminhada simbólica, você sentiu a alegria do Aprendiz que foi aceito e viu a Luz. Sentiu também a impaciência natural do Companheiro, ansioso por alcançar a plenitude maçônica. E é perfeitamente natural que imaginasse chegar a Mestre numa apoteose gloriosa. Ao contrário, encontrou a dor e o manto sombrio do luto. Com aquele choque inesperado, ficou indelevelmente gravado, em seu coração, o ensinamento maior, aquele que prepara todo Maçom para o encontro com o Supremo Criador.

Mas o arquiteto está morto, vítima da inveja e da cobiça. A missão está incompleta, porque o Templo está inacabado. E a Palavra, que só podia ser transmitida por três, está perdida.

Mas ainda que você seja um Mestre antigo ou mesmo um Mestre Instalado, não teve como saber como nem quando o Rei Salomão cumpriu sua promessa, elevando a Mestres os Obreiros do Templo, Sabe, pelo Livro das Sagradas Escrituras, que o Templo foi terminado e consagrado, mas também não sabe como nem quando. E, finalmente, está de posse apenas dos Segredos Substituídos de Mestre Maçom, porque a Verdadeira Palavra se perdeu.

Você é um Mestre Maçom. Mas ficou em você, como em qualquer Mestre inteligente e sensível aos ensinamentos, uma sensação inequívoca de que a história não se completou, de que deve haver, tem que haver algo além.

Muitos acreditam que o Grau de Mestre Maçom é o último grau de Maçonaria. A maioria dos estudantes de Maçonaria concorda que a história da arte, tal como apresentado nos três graus, é incompleta e que os graus do Real Arco completa a história e responde a muitas das perguntas na mente dos recém-feitos Mestres Maçons.

 

Realmente, há. Chama-se...REAL ARCO

REAL ARCO, CAPÍTULO OU MAÇONARIA VERMELHA

É o segundo passo na Maçonaria do Rito de York; o primeiro passo são as Lojas simbólicas (também conhecidas como "Blue Lodge"). Aqui, dentro de seu capítulo, você receberá as instruções e informações necessárias para preencher algumas das peças que faltam a partir da história maçônica simbólica ensinada na Loja.

Os graus do capítulo são referidos como "Maçonaria Capitular", proporcionando a um companheiro a oportunidade para um maior avanço na fraternidade.

O Mestre Maçom que ascende aos Graus da Maçonaria Capitular ou do Real Arco passam por cerimônias que têm sido praticadas por mais de duzentos anos e de grande beleza, significado moral e fortemente evocativas da mais pura Tradição Maçônica.  O Candidato é:

 

1.              Adiantado ao Grau de Mestre de Marca estará resgatando algumas das tradições operativas mais singelas e tocantes dos pedreiros livres na Idade Média. Recebendo sua Marca, uma identificação que carregará consigo por toda a vida, exatamente como faziam nossos antepassados que construíram magníficas catedrais góticas.

 

2.              Induzido na Cadeira do Oriente, ao receber o Grau de Past Master, o candidato estará recebendo um previlégio reservado no passado somente a Mestres Eleitos ou Instalados.

3.              Recebido e Reconhecido como Mui Excelente Mestre, estará passando por uma experiência emocionante, de grande nobreza e carga emocional. De todos os Graus Maçônicos de qualquer Rito, esse é o único que revive o momento do término e da dedicação do Templo de Salomão.

4.              Exaltado ao Mui Sublime Grau de Maçom do Real Arco, finalmente terá plena consciência do que significa ser Mestre Maçom, ao ver concluída a Lenda de Hiram.

Diferentemente dos Altos Graus do R.E.A.A., conhecidos por números, os Graus do Real Arco são conhecidos apenas por seus nomes: Mestres de Marca, Past Masters, Mui Excelentes Mestres e Maçons do Real Arco. Esses Graus revivem, na íntegra, a história do Templo do Rei Salomão, subsequente à morte do Arquiteto, em Cerimônias de profundo simbolismo, consistência e beleza.

Mestre de Marca - MdM

Past Master (Virtual) - PM

Mui Excelente Mestre - MEM

Maçom do Real Arco – MRA

Para se tornar companheiro de um capítulo, primeiro você deve ser um Mestre Maçom de uma das três Potências Regulares (GOB-Grandes Lojas-GOI) de qualquer Rito praticado nas referidas Potências, e então você pode preencher uma petição. Uma vez aceita, receberá os quatro graus:

 

A explicação dos graus de Maçonaria do Real Arco e sua ligação direta com a história inacabada retratado no Grau de Mestre Maçom. Contrariamente à idéia errada de que a Maçonaria consiste apenas dos três graus da Loja Simbólica, há muito mais que isto na história.

Embora estes graus não sejam obrigatórios para os Mestres Maçons, eles estão disponíveis para aqueles que desejam melhorar a si mesmos em Maçonaria. Cada Mestre Maçom que aprecia o começo da história certamente irá valorizar a sua conclusão maravilhosa.

O grande objetivo da Maçonaria é algumas vezes expresso como uma busca para o que estava perdido e que pelos nossos próprios esforços e com a ajuda do Mestre esperamos encontrar.

Coincidindo com esta pesquisa (e um elemento essencial no seu sucesso) é a construção do templo da nossa alma de que a construção do Templo do Rei Salomão é o símbolo. Ao mesmo tempo, as ferramentas, implementos e métodos do Maçom operativo são símbolos das ferramentas, implementos e métodos que estamos a utilizar na construção do nosso templo espiritual.

É a Maçonaria de recuperação. Ela ensina que as crenças grandes na Maçonaria nunca estão perdidas eternamente. Todas as coisas no devido tempo serão recuperadas.

 

 
 

 

 

 

 

MESTRE DE MARCA

 
 

 

 
 

Marcar todos os graus da Maçonaria são baseados na simbologia das marcas dos maçons operativos", que foram inscritos em pedras, como meio de identificação. Estas marcas eram geralmente linhas e ângulos e representou o profissional ou nomes de ofício do pedreiro. Todos foram feitos ao nível do ofício do companheiro e assim o calendário do presente diploma vem antes da lenda de Hiram. Até o final do século 18 na América, o Mestre de Marca do Real Arco foram conferidos nos capítulos. A Marca do Mestre, portanto, sempre foi considerado um grau de ofício.

O Marca de Marca continua a história da construção do Templo de Salomão. O tema é centrado em uma pedra que é dada por um Companheiro para inspeção por parte dos superintendentes da obra. Esta pedra com sua marca peculiar posteriormente é lançada em uma pilha de entulho de construção.

Acontece que a pedra foi o trabalho de Hiram Abif, concluído pouco antes de sua morte. A pedra representa simbolicamente o construtor de si mesmo como uma pedra viva. Na preparação da sua pedra, ele está a preparar-se e torna-se incorporado à estrutura de auto-aperfeiçoamento.

A pedra é um símbolo da Palavra Perdida, que nunca está realmente perdido. É sempre presente, mas muitas vezes não conseguem reconhecê-la, porque é fora da nossa consciência. Quando chegarmos a esse nível de consciência, onde o trabalho, ou pedra, é essencial para o nosso progresso na construção de nosso próprio templo, somos capazes de descobri-la.

 

 
     
  PAST MASTER  
     
 

Pode ser chamado apropriadamente do grau de responsabilidade, a ênfase é colocada sobre a importância de ser fiel a nossos deveres e obrigações maçônicas, uma lição que deve ser aprendida antes de podermos entrar no Real Arco e receber a Palavra do Mestre.

 

Os segredos transmitidos neste grau são chamados de "segredos da cadeira", e esses segredos, na maioria das vezes, constituem o Grau de Past Master. A posse deste título, foi também um pré-requisito necessário para receber o Grau do Real Arco. A exigência para ser um Past Master era muito limitada por serem poucos candidatos para iniciar no Grau Maçom do Real Arco, por isto a Maçonaria Capitular perdeu muito de sua força a partir da falta no número de interessados ​​e qualificados para conferi-lo.

 

Então, os Capítulos do Real Arco, decidiram criar o Past Master Virtual (aquele que recebeu o grau em um capítulo) e seria diferente do Past Master real (aquele que foi realmente eleito e empossado para presidir uma Loja Simbólica).

 

 
     
  MUI EXCELENTE MESTRE  
     
 

Este grau nos lembra do que é ao mesmo tempo o mais elevado, mais nobre e mais abençoado do exercício dos poderes e faculdades da alma humana, ou seja, adoração.

O grau preenche uma lacuna importante que existe há muito tempo em nosso sistema ritual maçônico. Como sabemos, o templo foi deixado inacabado no grau de Mestre, e do Real Arco notar a sua destruição. A conclusão e consagração do primeiro templo, a sua utilização como a glória da nação judaica para os 400 anos que decorreram entre a lenda de Hiram e da destruição do templo, havia sido preterido pelos rituais de todos os outros ritos existentes durante do século 18.

Assim, o mais excelente grau de Mestre é de autoria e tornou-se essencial para a legenda global dos graus maçônicos, e no desenvolvimento da alegoria completo da Maçonaria. A obrigação deste grau é uma das mais profundas em toda a Maçonaria. Ele reconhece, pela primeira vez que a verdadeira missão da Maçonaria, e cada maçom individual, é para iluminar a humanidade e fazer a aquisição e ensino do conhecimento de um dever, ao invés de um ideal.

 

 
     
  MAÇOM DO REAL ARCO  
     
 

O clímax da Antiga Maçonaria e simbolismo maçônico, é uma história completa da história judaica durante algumas das suas horas mais sombrias.

Ela ensina o triunfo da verdade sobre todas as formas de superstição e do erro, o devido respeito a divindade e suas obras, e à adoração do único Deus verdadeiro, sob qualquer nome que ele pode ser adorado.


No Grau de Maçom do Real Arco em si, a palavra perdida de um Mestre Maçom é redescoberta em uma bela cerimônia que leva os candidatos através da destruição de Templo do Rei Salomão, os setenta anos de cativeiro na Babilônia, e o retorno final à Terra Santa para ajudar e auxiliar na reconstrução do Templo do Altíssimo.

 

 
     
 
     

     
     
                       Voltar para:
 

 

 
     
     

 

  Desenvolvimento e Web Designer | Comp. Roberto Florêncio | Contato : robertoflorencio@digi.com.br
Copyright © 2009 * Capítulo Cavaleiros da Liberdade Nº 38

Todos os direitos reservados